[história clínica] a vida, para variar

Agrada-me quando a conversa com o doente passa da trivialidade clínica

[como é que se sente hoje? está melhor? ainda tem falta de ar?]

e resvala para a vida propriamente dita. Nem sempre se tem tempo para a conversa. Mas às vezes consegue-se falar dos filhos, da infância, de futebol e de como fazer favas guisadas com entrecosto. E isto assume-se como um acto terapêutico. Vejo os seus olhos brilharem mais um bocadinho e acabam a conversa com um rosto mais feliz do que a começaram.

E eu fico a saber como se fazem as ditas favas.

Anúncios

9 comentários

Filed under história clínica

9 responses to “[história clínica] a vida, para variar

  1. Enquanto doente, devo dizer que acho muito positivo que haja uma pequena conversa além doenças no consultório. Sinto que estou a falar com uma humano e nao com uma máquina que só sabe despachar receitas e desprezar sintomas. Às vezes nao têm qualquer importância, mas quando ouvidos e desmistificados com calma e paciência, desaparecem por si só.
    Por isso, Senhor doutor, converse…

  2. mariaqqcoisa

    é… reconfortante.

  3. Q

    Em 4 picadas numa biópsia mamária, só senti 1: aquela que foi dada no momento em que alguém entrou no gabinete e eu deixei de explicar ao Dr. o que fazia na vida.

    O calor humano, no momento certo.

    E o Dr., neste caso em concreto, que revelou não dominar apresentações em powerpoint, lá recebeu um e-mail meu com dicas para auto-formação.

    Win-win. Todos ganhamos. 🙂

    (Mas percebe-se que com as vossas horas seguidas de banco, entre tantas outras coisas que vais relatando por aqui, nem sempre seja possível este carinho adicional.)

  4. MARIA

    A cada comentário que leio a seu respeito,me faz admirar o Dr,sem mesmo o conhecer.Acho que bons médicos não se fazem sómente com prescrições médicas,receitas,exames,analises,etc..Bons médicos se fazem com ações humanas,consciencia,e olhar seu paciente olhos nos olhos,encontrar lá no fundo de onde ver a sua dor a sua angustia,porque as vezes as doenças melhoram quando as pessoas são ouvidas e amadas!!!Um grande abraço ao sr,que seja sempre um grande DR!!

  5. O meu parto (cesariana), foi passado na integra a falar com o anestesista…a falar da vida e que bem que soube …depois ver a minha filhota !!!

  6. Ana

    A verdadeira conversa é quando sentimos que aquele doente poderia ser da nossa família ou nosso vizinho ou nosso amigo… ou quando gostariamos que fosse!

  7. As favas dispenso, mas a conversa sabe sempre bem 😉 Foste nomeado e premiado no banitos! Dá lá um salto.
    Bejinhos e continua com os post que eu (e tanta gente) gosta (mos)!

  8. maria ana

    Abençoado seja, pelos caminhos terapêuticos que trilha!

  9. Berta

    🙂
    conversas que nos ficam na memória…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s