Tag Archives: televisão

[momento lexotan] tv stars

Todos os anos, por esta altura, o hospital de cascais aparece na televisão.

[Situação insustentável vivida hoje na urgência do hospital de cascais, com doentes internados no chão por falta de macas. Não nos foi permitido colher imagens. Bla bla bla.]

Certinho como o natal dos hospitais. Sempre agradável ver a cara dos directores à hora da refeição.

Anúncios

1 Comentário

Filed under momento lexotan

[videoscopia] medicina em série(s)

Acordámos para o mediatismo da medicina com o ER (ou emergency room, ou serviço de urgência, como lhe queiram chamar). Seguiram-se outras, algumas delas razoáveis, outras piores ainda. Desde uma anatomia de grey geminada com telenovelas mexicanas em que a medicina é um disfarce para historietas de amor/desamor, até a inenarrável clínica privada, filha da outra mas sem nexo nenhum, até filhas menores e outros rebentos bichosos.

O emergency room tem uma qualidade técnica assinalável. Tudo o que se vê, tem rigor científico. As histórias paralelas, melhores ou piores, são apenas adornos para os problemas médicos e isso agrada-me. Mas hoje em dia, ao ver um episódio, tenho uma dificuldade imensa para me identificar com as personagens. Dou comigo a pensar quem é este? eu nunca tinha visto este tipo. Fazem-me falta o Carter, o Mark, a Susan e todos os outros que foram abandonando o barco nos últimos anos.

Mas a minha série, a minha predilecção médico-televisiva, há-de ser sempre o Scrubs. Não tem pretensões a ser rigorosa, não tem esse objectivo (caramba, há 8 anos que o raio x de tórax do genérico está ao contrário e ninguém se importa). Mas faz-me rir. E faz-me chorar. E faz-me querer ser o JD todas as vezes que entro no hospital. E tem coisas tão parecidas com a realidade e que são tão características da vida num hospital. A rivalidade/irmandade medicina-cirurgia. A dicotomia tutor-com-ar-de-mau-mas-que-afinal-é-bom contrastando com o chefe-que-parece-bom-mas-afinal-é-uma-besta. Aquela pessoa no hospital que me odeia sem nunca termos percebido porquê (no meu caso é o pessoal do arquivo). Está lá tudo. Retrata de uma maneira light toda a fauna que num hospital habita. Ah… e o Zach Braff é o melhor actor do mundo.

Deixo-vos 2 vídeos. O primeiro pertence ao meu episódio preferido My Musical, em que, como o nome indica, tudo é transformado em ambiente de musical. O segundo vídeo são alguns dos melhores momentos da série.

We’re as close as the vena cava and the aorta, We’re best friends just like amoxicillin and clavulanic acid

7 comentários

Filed under videoscopia